As minhas verdadeiras ovelhas

12:57:00

(0) Comments


ÀS MINHAS VERDADEIRAS OVELHAS

Leitura Bíblica: (Ezequiel 34:16-20)
16 A perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com justiça. 17 Quanto a vós outras, ó ovelhas minhas, assim diz o SENHOR Deus: Eis que julgarei entre ovelhas e ovelhas, entre carneiros e bodes. 18 Acaso, não vos basta a boa pastagem? Haveis de pisar aos pés o resto do vosso pasto? E não vos basta o terdes bebido as águas claras? Haveis de turvar o resto com os pés? 19 Quanto às minhas ovelhas, elas pastam o que haveis pisado com os pés e bebem o que haveis turvado com os pés. 20 Por isso, assim lhes diz o SENHOR Deus: Eis que eu mesmo julgarei entre ovelhas gordas e ovelhas magras. (Ez 34.16-20)

Amadas e queridas ovelhas, precisamos analisar os tempos e as conjunturas da igreja como diz a Palavra de Deus: aquele que tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas (Ap 2.7). Estamos passando por momentos difíceis e de lutas. Isso é bom porque, nesse momento, Deus nos aperfeiçoa e prova quem realmente nós somos. Nos momentos de lutas e de crise que o pastor consegue identificar as verdadeiras ovelhas ou bodes. A ovelha é submissa, tratável, obediente, humilde diante de seu pastor; os bodes desconhecem o seu pastor, não são tratáveis, desobedientes e cheios de coisas perigosas à fé. A ovelha sabe que um dia foi perdida e que nunca fez nada que agradasse a Deus antes da sua conversão; são eternas dependentes da graça de Deus pelo sangue do Cordeiro. Os bodes jamais reconhecerão isso e sempre estarão contra a vontade de Deus.



O texto de Ezequiel fala exatamente isso: Deus julgaria quem eram ovelhas ou bodes diante do cativeiro babilônico. A provação diante do grande imperador Medo-persa seria o meio de Deus saber que eram rebeldes e submissas ou quem eram sensíveis à voz do Senhor Deus. Assim, precisamos saber que nós demonstramos ao pastor de uma igreja quem nós somos diante dos problemas na igreja. Somos ovelhas ou bodes? Pelos frutos o pastor conheceria quem é bode ou ovelha.



A ovelha precisa saber não pisar os pastos. Sabemos que Deus tem nos dado pastos verdes pela graça de Deus. Quando a igreja prega todo o conselho de Deus com ensino bíblico em exposição plena da Palavra de Deus; quando a cruz é ministrada e a exaltação do nome de Jesus é uma realidade, esse pasto não pode ser pisado como diz o verso 19. Deus julgaria as ovelhas magras porque elas tinham pasto, mas pisavam neles. Assim Deus trata com sua igreja e trata com o seu povo, pois Deus coloca na sua igreja pastores e mestre pelo seu Espírito (Ef 4.11; At 20.28-30). Paulo adverte que haveria alguns que tentariam arrastar o rebanho e desfazer o que Deus colocou como autoridade na sua igreja desde os primeiros tempos da sua igreja.
A verdadeira ovelha está ao lado de seu pastor; descansa nos braços do pastor e se for para escolher entre ovelha e pastor, a lógica é que a ovelha escolha o pastor, pois uma simples ovelha não sabe para onde vai, não tem autoridade espiritual e nem conhece as Escrituras. A ovelha deve ser íntima de seu pastor, honrá-lo e tê-lo sempre ao seu lado por causa dos lobos, dos falsos obreiros e falsos irmãos.



Paulo admite que existem, na igreja, falsos irmãos (2Co 11.13; 26; Gl 2.4). Como saber? Pelo texto sagrado Paulo adverte que esses investem contra autoridades espirituais. Por isso, Paulo disse “em perigos de falsos irmãos” à igreja de Corinto. Fica claro que esses falsos irmãos investiram contra o apóstolo Paulo, até contra o apóstolo João (3 Jo 9-10). Outra característica de um falso irmão é que fica observando momentos e situações para criticar o pastor e evidenciá-lo. Paulo deixou claro quando falou aos gálatas que os falsos irmãos o estavam espreitando. O verbo grego kataskopeö quer dizer espiar secretamente. O que estava havendo na igreja da Galácia era exatamente isso. Os pseudadelphos (falsos irmãos) estavam espionando Paulo para pegá-lo em alguma coisa. Isso é uma característica de falso irmão e digno de termos cuidado com pessoas que agem dessa forma.



Às minhas verdadeiras ovelhas eu quero dizer que estou à disposição de dar a minha vida, pois o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas, mas preciso que essas deixem qualquer insinuação contra o pastor. Paulo alertou aos romanos que pessoas que causam divisão e escândalo devem ser evitadas fugindo delas (Rm 16.17). A palavra skandalon era uma pedra que ficava à margem do caminho para derrubar pessoas. Uma pessoa se torna escândalo quando ela é a causa de uma igreja dividir, colocar líderes em evidência e rebelião. Pelas escrituras tais pessoas não ficaram e nem ficarão sem punição, pois o mesmo Deus de Moisés e Davi é o nosso. Deus foi peremptório com cada uma delas e tratou como Pai para aqueles que são filhos e como Juiz para aqueles que não são. Portanto, Paulo adverte à igreja de Roma que devemos nos afastar de tais pessoas, pois essas causarão transtornos à fé e ao Reino de Deus.



Amados, quero terminar dizendo que a nossa luta não é contra carne nem sangue, mas contra as forças das trevas e toda rebelião provém do diabo. Rebelião não é uma simples discordância do líder, mas uma revolta contra a liderança desse líder. Portanto, muito cuidado, pois o mesmo Deus que me trouxe até aqui, deu-nos graça e fez essa igreja chegar aonde chegou cortará os ramos e galhos secos trazendo paz e graça à sua igreja. Deus os abençoe.
Autor: Pr.Francisco Mário Magalhães

Luciano